Cada comunidade tem um certo formato e som para o Shofar, apropriados para seus membros. As diferentes comunidades preservaram suas tradições únicas, originadas de várias fontes, em cada região específica.

Comunidades Judaicas na Espanha

Judeus na Diáspora espanhola usavam um shofar liso e reto, com um som baixo.

Zvika Bar-Sheshet, o fabricante de Shofar, explica: “No passado, os judeus não tinham autorização para carregar nem usar o Shofar, então era necessário escondê-lo entre o corpo e o cinto da calça. A forma lisa tornava isto possível”.

As comunidades sefaraditas preservaram o Shofar liso de som baixo. Muitas pessoas acreditam que o som do Shofar anuncia vitória e sucesso, simbolizando aprovação e aceitação da prece.

Comunidades judaicas no Norte da África

Até a atualidade, os judeus do Norte da África preservam o tradicional formato do Shofar, tal como era usado na Diáspora espanhola. É um Shofar reto com um som baixo, criando um forte eco quando tocado, até que objetos ao redor comecem a tremer… o som baixo é resultado de um orifício curto entre o bocal e a caixa de som.

Comunidades espanholas que migraram para a Europa (Estilo Sefaradita)

Após a Expulsão da Espanha, algumas comunidades migraram para a Europa Central e Oriental. Em suas novas terras, não conseguiam encontrar os mesmo chifres apropriados para fazer o Shofar que tinham anteriormente. Precisaram utilizar chifres de carneiro de um novo tipo, que necessitava perfurar um longo orifício desde o bocal até a caixa de som. O som produzido deste tipo de Shofar é muito alto. Judeus originários destas comunidades ainda utilizam Shofars de som bem alto, fino e choroso. Este Shofar é curvado, e não reto como o original sefaradita. Esta curva simboliza, como acreditam as pessoas destas comunidades, o coração humano, que deve se curvar ante o Senhor naquele dia.

Comunidades judaicas na Holanda e Itália

Em comunidades judaicas da Holanda, usava-se Shofars feitos de chifre de cabra, e este costume ainda existe em alguns locais. Por que esta preferência por chifres de cabra, e não carneiro? Uma das razões é que a produção de Shofars de chifres de cabra é bem mais fácil, pois são mais retos quando comparados com os contorcidos chifres de carneiro.

Comunidades judaicas na Polônia

Na Diáspora polonesa, os judeus preferiam, como seus irmãos da Espanha, Shofar em forma lisa, mas com um som lamentoso e abafado. Por que? Alguns relacionam isto com a história dos judeus na Polônia – em tempos passados, os poloneses tinham o costume de tocar trombetas quando saíam para a guerra. Como consequência, quando os judeus tocavam os Shofars no Rosh Hashanah, os poloneses ficavam temerosos que um conflito havia se iniciado… e isto os enfuriava. Então, para não irritá-los, os judeus “abafavam” o som do Shofar.

Comunidades do IӐmen e Iraque

No passado, os judeus iemenitas usavam dois tipos de Shofars: um feito de chifre de carneiro e outro feito de um longo e retorcido chifre de antílope. Os judeus do Iêmen e Bagdá não usavam o chifre liso que era perfurado, mas sim cortavam o chifre por toda sua extensão até a concavidade. Este tipo de Shofar produz um som baixo ecoante. Alguns judeus no Iêmen também usam chifre de ibex, que era comum na região. Este chifre é bem longo e não é necessário perfurá-lo, portanto era mais fácil produzi-lo. Alguns costumavam decorar o Shofar com pedras preciosas.

Até a atualidade, judeus iemenitas usam um shofar longo e espiral, bastante direcionado para cima. Como dito anteriormente, o som profundo do Shofar assemelha-se com um eco vindo de longe, de algum lugar do deserto longínquo. Algumas pessoas pensam que os judeus iemenitas preferem este forte som ecoando porque Abraão sacrificou o carneiro na montanha, e os ecos nos recordam daquelas montanhas.

O Shofar Israelense

Os Shofars familiares a nós, atualmente, em Israel são os mais comuns no mundo judeu, cerca de 80%. São fáceis de produzir e relativamente baratos – cerca de 50 a 300 shekels cada. Produtores habilidosos de Shofar sabem como fazer qualquer tipo de som, desde que não haja nenhum pedido especial quanto ao formato.

(Fotos)

Shofar marroquino – a forma e o som foram preservados como eram na Espanha antes da Expulsão. Da coleção de Shofar Bar-Sheshet.

Shofar feito de chifre de cabra, em sua fabricação. Da coleção de Shofar Bar-Sheshet.

Shofar da Polônia. Da coleção de Shofar Bar-Sheshet.

Shofar iemenita feito de chifre bruto e não-alisado. Da coleção de Shofar Bar-Sheshet.

Acima: Shofar iraquiano feito de chifre de carneiro polido, mas não alisado. Da coleção de Shofar Bar-Sheshet.

À esquerda: Chifre de ibex usado em certas comunidades judaicas do Iêmen para a fabricação de Shofars. Da coleção de Shofar Bar-Sheshet.

Shofar israelense feito de chife de carneiro. Da coleção de Shofar Bar-Sheshet.

voltar ao topo ^